SER CRIANÇA ENQUANTO AINDA HÁ TEMPO!

SER CRIANÇA ENQUANTO AINDA HÁ TEMPO!

“Essa criança não vai crescer nunca”! Ou será que vai?

A resposta, todos nós sabemos. Basta pensar em nós mesmos. Qual foi o momento em que deixamos de correr de um lado para o outro, subir em sofás, árvores, escalar prateleiras, e andar descalços? Quando foi que começamos a não ter tempo para fazer as pequenas coisas que gostamos ou que começamos a nos incomodar por ficarmos molhados com a chuva?

Infelizmente (para alguns), tudo isso se modifica com o tempo – e com a vida. Com o intuito de refletirmos, o texto de hoje é sobre a importância da infância e do brincar, para que mães, pais e cuidadores possam garantir que as crianças brinquem e sejam crianças, pelo tempo que for necessário. Pois a melhor parte da infância é justamente ser livre da preocupação dos adultos.

O brincar é fundamental no desenvolvimento infantil e exige uma atenção especial por parte de pais e educadores. Para que a criança progrida, é necessário que ela brinque, pois assim irá desenvolver bem-estar físico, social, cognitivo e emocional. Além de potencializar a criatividade, capacidade de resiliência, equilíbrio emocional e ajustamento motor.

Nos dias atuais, as crianças passam bem menos tempo brincando. E isto pode trazer algumas consequências no seu crescimento. Por esse motivo, se faz necessário refletir sobre a importância de deixar as crianças serem crianças e aproveitarem o tempo que tem para brincar. Durante o período dos dois aos cinco anos de idade, elas desenvolvem suas próprias maneiras de agir com o mundo, e é nessa fase cheia de novidades e descobertas que surge a curiosidade, as amizades, e se fortalece desenvolvimento cognitivo e motor.

O brincar infantil deve envolver mãe, pai e/ou cuidador, seja com uma participação ativa, ou apenas com observação. O papel desses cuidadores durante as brincadeiras é fundamental no desenvolvimento e aprendizado das crianças, o que contribui também com a formação de vínculos afetivos. Aos adultos cabe explorar e instigar a imaginação, a criatividade e o desenvolvimento saudável das crianças. O cérebro infantil precisa brincar tanto quanto precisa de outras coisas para se desenvolver.

O cérebro infantil é plástico e passa por várias adaptações, deve-se, portanto, proporcionar as crianças, ambientes cheios de estímulos e seguros, com brincadeiras exploratórias, que despertem a curiosidade e envolvam desejos de criar, modificar e aprender. É essencial que se viva bons momentos junto com as crianças, e que se deixe elas viveram a infância, pois para serem adultas, elas terão muito tempo.

*Fonte da imagem: FreePik

Sobre o autor

Alessandra Manéa da Silva