ABRACE A SUA SAUDADE

ABRACE A SUA SAUDADE

Durante esse ano foi possível perceber a importância dos rituais. Nunca foi tão diferente comemorar aniversários, páscoa, dia das mães, férias escolares, dia dos namorados e dia dos pais. Além dessas datas foi possível perceber o quanto são importantes os rituais de despedida no momento da morte de quem se ama.

As restrições do ano impossibilitaram que as pessoas se despedissem da forma tradicional de seus familiares. Os velórios se transformaram, as missas e cultos foram cancelados, os encontros presenciais não puderam ocorrer.
E, além do vazio pela morte daquela pessoa tão importante, os enlutados foram deixados com vazios ainda maiores, por estarem isolados e vivendo diversas perdas.

É… os rituais são realmente importantes, eles organizam, acolhem e autorizam as pessoas a viverem os seus lutos!

E o dia dos Finados pode ser mais um ritual importante na organização emocional do familiar que está em luto. Através dele é possível lembrar do falecido, sentir saudade, visitar locais e acessar rituais religiosos ou de crenças pessoais. Pode ser mais um dia transformador para quem está em luto, mas para isso é preciso se permitir!

Ao longo dos anos, a sociedade foi criando barreiras na hora de vivenciar o sofrimento. As pessoas evitam pensar no que machuca e com isso as visitas em cemitérios e os ritos de Finados são cada dia mais raros.

Só que sabe, eu preciso te contar uma coisa bem importante: Quanto mais tu correr do sofrimento, mais intenso ele vai te encontrar depois! Não tem como fugir, em um determinado momento tua mente vai te cobrar por essas barreiras criadas, tu vai acabar sentindo e talvez sinta de uma forma muito mais intensa do que se tivesse vivido a dor no momento que ela estava ali te abraçando.

Eu queria propor um desafio para você que está lendo! Viva esse dia de Finados de uma forma diferente. Abrace as suas lembranças, deixa ela vir, acolha essas memórias com carinho. Chore se tiver vontade e ria também! Mas acolha o seu sentimento, acolha as memórias bonitas que você tem do seu ente querido.

Quanto mais você se permitir lembrar e viver essa dor, melhor vai ser o seu processo de luto!

Aceita o desafio? Então, vai lá e abraça a sua saudade!

Sobre o autor

Bárbara Albasini Bard

Bárbara Albasini Bard

CRP: 07/28670